logo
Ocultar
Home > Publicações > Outubro Rosa

Outubro Rosa

Outubro é considerado mundialmente como mês de conscientização sobre a prevenção do câncer de mama.

 

Em diversos locais é oferecida uma programação especial aberta à população durante todo o mês. São palestras, desfiles, distribuição de folhetos informativos, exposições e disponibilização de pessoas capacitadas para informações sobre como realizar o autoexame e exames de mamografia.

 

O movimento teve início na década de 1990, nos Estados Unidos, por ações isoladas de diversos estados desse país para a prevenção do câncer de mama e realização de mamografias durante o mês de outubro. Assim, o Estado Americano oficializou outubro como o mês oficial da campanha de luta contra o câncer de mama. As ações se espalharam e o que antes era uma campanha nacional tornou-se mundialmente conhecida com, cada vez mais, um maior número de adeptos.

 

Toda a campanha do Outubro Rosa tem como referência um laço rosa como forma de incentivar a participação de todos: entidades governamentais, empresas e sociedade, unidos na luta contra o câncer de mama. O laço foi usado pela primeira vez durante a 1ª Corrida da Cura, em Nova Iorque, e desde então todos são estimulados a usar para lembrar a importância do ato de prevenção. Além disso, monumentos, praças, prédios e pontes  das cidades também ficam iluminados de rosa como forma de identificação mundial em favor da campanha.

 

No Brasil, o primeiro monumento a ser iluminado com a cor foi o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, em 2002, resultado da ação de um grupo de mulheres em parceria com uma empresa de cosméticos.

 

A partir daí, inúmeras cidades brasileiras aderiram ao ato e, hoje, o país fica iluminado de rosa em diversos pontos mostrando a adesão à campanha mundial.

 

Como forma de prevenir e detectar a doença, a campanha incentiva o autoexame e, para as mulheres com idade entre 40 e 69 anos, a realizarem os exames mamográficos, pois quanto mais cedo o diagnóstico, melhores e maiores as chances de tratamento.

 

 

 

Câncer de mama - Índices e Estimativas

 

De acordo com as Estimativas de Incidência de Câncer, produzidas pela Divisão de Vigilância e Análise de Situação da Coordenação de Prevenção e Vigilância (Conprev) do INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva), para o biênio 2018-2019, no Brasil, entre os dez tipos de câncer mais incidentes na mulher, o de mama está em primeiro lugar com 29,5%, ou seja, serão 59.700 novos casos desse tipo de câncer para o período. São 56,33 casos a cada 100 mil mulheres. Só em 2014, foram mais de 57 mil casos de câncer de mama detectados no país.

 

Na sequência estão o câncer de Cólon e Reto com 9,4%, o de Colo do Útero (8,1%), Traqueia, Brônquio e Pulmão (6,2%), Glândula Tireoide (4,0%), Estômago (3,8%), Corpo do Útero (3,3%), Ovário (3,0%), Sistema Nervoso Central (2,7%) e Leucemias, com 2,4% dos casos.

 

De acordo com o estudo, sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama também é o primeiro mais frequente nas mulheres das Regiões Sul (73,07/100 mil), Sudeste (69,50/100 mil), Centro-Oeste (51,96/100 mil) e Nordeste (40,36/100 mil). Na Região Norte, é o segundo tumor mais incidente (19,21/100 mil). (INCA, 2018).

 

Apesar de ser um tipo de câncer com boas chances de cura, ainda é a maior causa de morte por câncer nas mulheres em todo o mundo. Isso porque o seu diagnóstico se dá em fase já avançada. Por isso, o autoexame é tão importante. Se detectado em sua fase inicial as chances de cura são de 95%.

 

É mais comum atingir mulheres a partir dos 35 anos de idade, tendo os seus riscos aumentados a partir dos 50 anos.

 

Independentemente da idade, a mulher deve conhecer o seu corpo e saber detectar o que se apresenta de "diferente". Vale ressaltar que o autoexame não substitui o exame médico. 

 

 

Sintomas:

É muito importante detectar os sintomas e ficar atenta aos sinais que podem ser:

  • Nódulos palpáveis na mama ou região das axilas.
  • Alterações na pele que recobre o local do nódulo.
  • Região da mama com aspecto parecido a uma casca de laranja.

 

Quais são as causas?

O câncer de mama acomete principalmente mulheres que menstruaram precocemente, que têm a primeira gravidez após os 30 anos, não tiveram filhos ou tiveram menopausa considerada tardia, após os 55 anos.

Porém, um dos grandes fatores de riscos é o histórico familiar, principalmente se houve algum caso com parentes mais próximos (mãe ou irmã) antes dos 50 anos de idade.

 

Quando devo fazer o autoexame:

A partir dos 20 anos de idade já é importante realizar o autoexame uma vez por mês, de preferência entre o quarto e o sexto dia depois do fim do fluxo menstrual. As mulheres que não menstruam devem escolher uma data e sempre realizar o autoexame nesse mesmo período.

 

Como prevenir:

Além do autoexame é fundamental a avaliação médica rotineiramente, além da realização de exames. Dependendo da idade da paciente ou de acordo com a indicação do ginecologista exames de mamografia são necessários.

 

Vale lembrar sempre que alimentação balanceada, prática de exercícios físicos regulares, eliminação de vícios como tabagismo, álcool ou quaisquer outros tipos de drogas, são fundamentais para uma vida saudável e longe de diversos tipos de doenças.

 

 

Fonte:

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA): http://www.inca.gov.br/estimativa/2018/casos-taxas-brasil.asp  

http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/estimativa-2018.pdf 

Compartilhar

Comentários